Oie gente! Tudo bem? A chegada do verão, período que combina com o ciclo de férias escolares, não traz apenas a expectativa de momentos de alegria e descontração em cenários de praia e piscina.

Foto: Panrotas

A estação com maior incidência de chuvas apresenta condições climáticas que favorecem a proliferação de viroses gastrointestinais e do Aedes aegypti, mosquito responsável pela transmissão de dengue, zika e chikungunya.

Foto: Giro PB

Estas doenças podem levar à desidratação, um problema relativamente simples de solucionar, mas que, em quadros mais graves, pode representar um risco à vida.

  • Sede,
  • dor de cabeça,
  • fraqueza,
  • tontura,
  • fadiga e
  • sonolência

podem indicar quadros leves de desidratação.

  • Boca seca,
  • redução do volume de urina,
  • prostração,
  • taquicardia e
  • falta de elasticidade da pele

são os indícios de um quadro moderado do problema.

Pessoas com desidratação severa podem apresentar

  • sede intensa,
  • ausência de urina (anúria),
  • respiração rápida,
  • confusão mental,
  • pele fria e úmida e
  • alterações no funcionamento termorregulador e cardiovascular do organismo.

    Foto: Dra Keilla Freitas

De acordo com Olavo Rodrigues, farmacêutico clínico, mestre em Biotecnologia e superintendente de Desenvolvimento de Produtos e Assuntos Regulatórios da Natulab, é preciso corrigir o mais brevemente possível os mecanismos anormais de perdas de líquido, como febres, vômitos, diarreias.

Nestes casos, a prevenção passa diretamente pelo cuidado com a alimentação, por meio da higienização correta de alimentos, a fim de evitar intoxicações alimentares, viroses e outras infecções oportunistas.

Nos casos em que a desidratação está instalada, independentemente da causa, os princípios gerais de tratamento são os mesmos: reidratar e promover o equilíbrio eletrolítico (de sais minerais).

“Para a desidratação leve e moderada, pode ser indicada uma terapia de reidratação oral, com uso de soluções reidratantes – sejam elas caseiras ou não. Nos casos mais graves, pode ser necessária a reidratação endovenosa (na veia)”.

Crianças, idosos e gestantes demandam cuidados especiais. “O organismo destas pessoas é mais sensível às alterações bruscas de ambiente, exigindo cuidados e medidas preventivas redobrados”, alerta Rodrigues.

A desidratação profunda pode, em última instância, comprometer as funções metabólicas do organismo de forma generalizada, e com risco de morte.

Vale lembrar que, aproximadamente, 75% da composição corporal é água. Manter essa concentração é fundamental para preservar o bom funcionamento dos sistemas orgânicos.

“O corpo humano elimina água através da urina, fezes, suor, por evaporação imperceptível pela pele e através da respiração. Essas duas últimas formas, embora imperceptíveis ao indivíduo, representam uma perda significativa no total diário”, explica o superintendente da Natulab.

A boa notícia é que algumas medidas preventivas simples podem ser adotadas, a fim de garantir o bem-estar nesta época do ano.

“O primeiro passo é compensar a perda natural de água que é maior nessa época, com a ingestão de bastante líquido (dois litros ou mais ao dia)”, orienta.

O farmacêutico ressalta ainda outros fatores importantes: evitar a exposição excessiva ao sol, principalmente entre 10h e 16h; buscar ambientes frescos e à sombra; manter uma alimentação equilibrada, leve e nutritiva; e permanecer atento aos sintomas da desidratação.

SOBRE A NATULAB

A Natulab é líder em produção e venda de medicamentos fitoterápicos no Brasil, ocupa a 5ª posição no mercado OTC, e é a 16ª colocada do mercado farmacêutico no período de 12 meses, em unidades comercializadas, segundo o IMS Health. Fundada em 2000, em Santo Antônio de Jesus (BA), tem sede em São Paulo e unidade fabril na Bahia. Até 2019, tem como objetivo se tornar uma das dez principais empresas do País no mercado OTC em reais.

Em seu portfólio, possui uma linha de produtos com 300 apresentações, entre eles Hidraplex (reidratante oral), Hidralyte (reidratante oral), StarforC (aspartato de arginina e ácido ascórbico), Varivax (Aesculus hippocastanum), e Xarope de Guaco (Mikania glomerata).

*Fonte: IMS Health | PMB – Set’17 (unidades

Veja mais...

Período de Chuvas Exige Cuidados com Risco de Dengue e Diarreia
Classificado como:

19 ideias sobre “Período de Chuvas Exige Cuidados com Risco de Dengue e Diarreia

  • Janeiro 13, 2018 em 7:22 pm
    Permalink

    OI Bruna,
    É fundamental se previnir e hidratar muito o corpo para combater a desidratação. Além disso, evitar locais e criar condições que possam causar proliferação do mosquito Aedes Egypt.
    Parabéns pelo post! Serve de alerta.
    big beijos

    Resposta
  • Janeiro 14, 2018 em 3:41 pm
    Permalink

    Excelente postagem. Toda informação neste sentido é super positiva. É um período que realmente necessita de cuidados redobrados com relação à estas doenças.

    Resposta
  • Janeiro 14, 2018 em 7:26 pm
    Permalink

    esse tempo de chuva e puxado em bom para dormi mas em questão de trabalho e a parte da proliferações de mosquitos não e muito bom, mas eu acho que todos tem que fazer sua parte sei que o tempo e pouco mas 5 minutos por dia já gera muita diferença.

    Resposta
  • Janeiro 14, 2018 em 7:54 pm
    Permalink

    Oi!!
    Parabéns pelo post serve de alerta. Temos que tentar evitar que o mosquito transmissor se reprodução e cuidar para evitar que as crianças fiquem com diarreia .
    Bjo

    Resposta
  • Janeiro 14, 2018 em 7:57 pm
    Permalink

    Oi!!
    Parabéns pelo post serve de alerta e traz informações maravilhosas. Temos que tentar evitar que o mosquito transmissor se reproduza…
    Bjo

    Resposta
  • Janeiro 14, 2018 em 8:25 pm
    Permalink

    Muito bom e útil seu post.Devemos nos informar e colocar em pratica as dicas para evitar esses problemas de saúde.Ainda mais agora com a volta da febre amarela!Adorei,muito importante!bjs

    Resposta
  • Janeiro 14, 2018 em 8:30 pm
    Permalink

    Nossa este post é muito útil, parabéns por compartilhar, com saúde não se brinca,temos que ficar muito atentos.

    Resposta
  • Janeiro 14, 2018 em 9:46 pm
    Permalink

    Caraca, se eu te falar que nunca pensei nisso tu acredita? Acho que mais importante que aproveitar a época é previnir, você ARRASOU com o post!!!

    Resposta
  • Janeiro 14, 2018 em 10:18 pm
    Permalink

    Muito bom o teu post, quanto mais informações melhor para ajudar a prevenir. Beijo

    Resposta
  • Janeiro 15, 2018 em 2:25 am
    Permalink

    Muito bom seu post. Alertar sobre os perigos da dengue nunca é demais, pois ainda há muitas pessoas que não tem consciência sobre os riscos dessa doença e que prevenir é o melhor remédio.

    Resposta
  • Janeiro 15, 2018 em 3:52 am
    Permalink

    Excelente post, muito informativo. Temos que redobrar os cuidados nessa época e se hidratar muito! Bjs

    Resposta
  • Janeiro 15, 2018 em 4:04 am
    Permalink

    Oi, eu tenho o maior cuidado para não deixar criar esses pequenos vilões, e agora em período de férias mais chuva fico mais em alerta por causa dos vizinhos que viajam.

    Resposta
  • Janeiro 15, 2018 em 5:48 am
    Permalink

    Eu tenho problemas em me lembrar de tomar água e nesse período fica pior. Ainda mais que, ultimamente, estou tendo dor de cabeças. O post foi ótimo para me alertar e vou ver medidas para ficar hidratada. Obrigada pelas informações <3

    Resposta
  • Janeiro 15, 2018 em 1:18 pm
    Permalink

    aqui em casa fico de olho sempre pois todo cuidado é pouco. minha mãe já teve dengue e foi horrível. prevenção é fundamental.

    Resposta
  • Janeiro 15, 2018 em 2:32 pm
    Permalink

    Essas épocas realmente exige muitos cuidados mesmo… É sempre importante estar ligado.

    Resposta
  • Janeiro 15, 2018 em 4:57 pm
    Permalink

    Eu já tive dengue e não é nada bom! horrível, temos mesmo que tomar muito cuidado

    Resposta
  • Janeiro 15, 2018 em 7:26 pm
    Permalink

    É preciso conscientizar as pessoas sobre isso ,principalmente sobre a dengue,porque não adianta muito eu me prevenir e meu vizinho não. Ótimo o seu post !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *