Oi gente! Tudo bem com vocês? Após 6 anos escrevendo por aqui eu vi que nunca tinha contado sobre a minha transição capilar, né?! Mas, nesse post eu conto como cuidava do meu cabelo até quando aprendi a aceitar a forma natural dele ^_^ e como ele está atualmente.
Transição Capilar
Nos dias de hoje

Na minha infância e adolescência eu sempre usei tranças e maria chiquinhas nos cabelos, raramente usava solto e por não saber cuidar dos cabelos eu decidi aos 12 anos fazer relaxamento daqueles de caixa baratinho que você encontra até hoje na perfumaria, sabe…

Eu lembro até hoje do cheiro forte de amônia do produto e de quanto o meu cabelo caiu nesse processo, por sorte o efeito do relaxamento de alisar os fios não foi tão forte, no entanto, tive que cortar os cabelos por um determinado período e as tranças me acompanharam nesse processo, sem saber na época que foi “uma transição capilar”.
Em 2004

Aos 18 anos eu tentava soltar os cachos, no entanto, não sabia como definir, arrumar o frizz e claro não ficavam por muito tempo libertos porque não curtia muito o visual que via no espelho porque parecia “uma pirâmide” por conta do corte reto que tinha.

Como enjoei de usar tranças e não poderia usar mais maria chiquinhas, então usava e abusava (ok, eu ainda uso) coques para ir para faculdade e ir para os estágios, eu achava lindo, elegante e prático.
Em 2006

 

Por falar em praticidade eu passei a fazer escovas e usar a chapinha, de vez em quando, porque a chapinha deixava o meu cabelo liso escorrido e sentia falta do volume, porque será, né?Eu desembaraçava os cabelos secos sempre e ficavam tudo quebrado, só usava shampoo e condicionador da linha Plant da Natura e como também duas gotas ou equivalente a uma moeda de R$ 1,00 de creme para pentear, demorei em descobrir os benefícios das máscaras capilares.

Em 2008

 

Em 2008
Em 2010 eu com 22/23 anos comecei a tingir os cabelos na cor Castanho Borgonha e consequentemente os meus cabelos começaram a ressecar, aí conheci as máscaras capilares, o mundo dos blogs e comecei a cuidar dos cabelos.
Um belo dia com os cabelos escovados e chapados, uma colega de trabalho falou a seguinte frase: “Se você voltar com os cabelos escovados de novo, vou jogar um balde d’água nesse cabelo” – e veio como um recado para que eu me visse mais com o cabelo cacheado que é a sua estrutura natural.

 

Em 2012
Depois desse dia eu não fiz mais escova e passei chapinha totalmente nos cabelos, só em alguns penteados e a última vez que fiz isso foi no final de 2013, atualmente não faço mais uso desses equipamentos para modelar os meus cabelos.
A transição capilar não é só abandonar as químicas de transformação como a escova progressiva, é também passar pelo processo que passei em abandonar os métodos mecânicos e térmicos de transformação ou de alisamentos dos fios.
A continuação pode ser acompanhada nas fotos de resenhas de produtos para cabelos cacheados aqui no blog, a cor do cabelo mudou e agora tenho luzes, só faço corte de cabelo a seco e a cada dia procuro formas de cuidar e realçar os meus cachos.
O que vocês acharam ?

 

Assinatura_1 photo assinaturabruna.jpg

bb_bid = “1635049”;
bb_lang = “pt-BR”;
bb_name = “custom”;
bb_limit = “6”;
bb_format = “bbn”;
bb_bbdo = “3020”;

Veja mais...

Minha Transição Capilar por Bruna de Paula
Classificado como:                

4 ideias sobre “Minha Transição Capilar por Bruna de Paula

  • outubro 5, 2017 em 6:03 am
    Permalink

    Olá, tudo bom?
    Você mudou muito, tá linda e poderosa!
    Acho incrível como isso pode revelar o mulherão que somos ❤

    Resposta
  • outubro 10, 2017 em 9:16 pm
    Permalink

    Essa transição é a melhor e a pior na vida de uma mulher não é mesmo, sem fala que precisa muita coragem e paciência para poder colher is resultados dessa mudança ! Parabens pela sua determinação e vontade

    Resposta
  • outubro 15, 2017 em 1:50 am
    Permalink

    Que diferença GRITANTE bru , parece até outra pessoa .

    Resposta
  • outubro 15, 2017 em 5:41 am
    Permalink

    Parabéns pela escolha, transição capilar é um período muito dificil, pois exige tempo e determinação, se a pessoa não tiver foco, desiste rapidinho!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *